out 282013

Tráfico humano aumenta pela falta de órgãos para transplantes

Artigo 1

RÁDIO ONU – Segundo a relatora especial da ONU sobre tráfico de pessoas, tem aumentado o número de pessoas exploradas ou obrigadas à força, ou por necessidade, a fornecer órgãos para transplantes. Joy Ngozi Ezeilo afirma que a escassez, em todo o mundo, de órgãos para transplantes é a principal causa do tráfico de pessoas para remoção de órgãos.

A relatora destaca que existe uma incompatibilidade entre a demanda crescente de transplantes e os limites severos em relação ao que está disponível. Outro problema citado por Ezeilo é a falta de informação sobre o tráfico de pessoas para a remoção de órgãos, “resultado da natureza clandestina do crime e do fato de que as vítimas têm poucas oportunidades e incentivos para denunciar tais violações. “Na avaliação da relatora, os recipientes são geralmente pessoas com boas condições financeiras, enquanto “as vítimas são pobres, desempregadas e com baixo nível escolar.” Por isso, elas podem ser facilmente enganadas sobre a natureza da transação e seu impacto, nota a especialista em direitos humanos.

Casos estudados pela relatora mostram que as vítimas, especialmente do leste europeu, América do Sul e Ásia, são atraídas a vender seus órgãos com a promessa de receber grandes quantias de dinheiro. Mas na maioria das vezes, elas nunca recebem o pagamento completo. Segundo Ezeilo, os cuidados médicos pós-operatórios oferecidos para as vítimas são muitas vezes inadequados e muitas sofrem exclusão social e ameaças diretas com o objetivo de silenciá-las.

A relatora da ONU destaca leis insuficientes, a nível internacional, sobre o tráfico de pessoas para remoção de órgãos e defende que os países aumentem as ações para o fim de todas as formas de tráfico humano. Joy Ngozi Ezeilo pede o reforço de políticas para prevenir violações, para processar os criminosos e proteger e assistir as vítimas. Além disso, a relatora quer a proibição, “absoluta e incondicional”, da remoção de órgãos de prisioneiros. Ezeilo apresentou seu relatório sobre o tema na sexta-feira, à Assembleia Geral das Nações Unidas.


capa relatorio onu traf 2013Leia a íntegra do Relatório da ONU sobre Tráfico de Pessoas, especialmente crianças e mulheres

Postar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*



Monitoramento CEDAW - Ação Permanente
Endereço: Rua General Andrade Neves, 159, sala 85, 8º andar Centro Histórico, Porto Alegre, RS, CEP: 90010-210