jun 172014

Senado pede dados sobre mulheres ao TSE

Artigo 1

Jornal do Senado – A procuradora especial da Mulher do Senado, Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), pediu ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) informações sobre mulheres candidatas desde 1994. Os dados serão usados em pesquisa do DataSenado sobre participação feminina na política. A ideia é ouvir candidatas eleitas e derrotadas para uma radiografia sobre as dificuldades das mulheres na luta pela ocupação de espaços de poder. O estudo será inédito na América Latina e permitirá elaborar projetos de lei e planejar políticas públicas.

 Senadora Vanessa em reunião na semana passada com o ministro Toffoli, do TSE Foto: Marcelo Favaretti


Senadora Vanessa em reunião na semana passada com o ministro Toffoli, do TSE Foto: Marcelo Favaretti

— Não pode a maior parte do eleitorado brasileiro, que são as mulheres, ocupar menos de 10% dos assentos no Parlamento — disse a senadora.

À frente do TSE, o ministro José Dias Toffoli comprometeu-se a responder em breve.

— Aquilo que for possível fazer para incentivar a participação das mulheres no processo político, nós continuaremos a fazer — afirmou.

A legislação prevê que os partidos lancem para o Congresso pelo menos 30% de candidaturas de mulheres. Há países em que esse percentual atinge a metade das candidaturas. A bancada feminina no Congresso tem observado que a proporção não é real. Os partidos têm lançado candidaturas de mulheres apenas para cumprir a cota mínima, mas não destinam os recursos necessários para a campanha nem dão apoio para a efetiva eleição. O resultado é que apenas 9% do Congresso é composto de mulheres, o que dá ao Brasil o 156º lugar no ranking mundial de representatividade da mulher no Poder Legislativo.

Postar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*



Monitoramento CEDAW - Ação Permanente
Endereço: Rua General Andrade Neves, 159, sala 85, 8º andar Centro Histórico, Porto Alegre, RS, CEP: 90010-210