jan 092015

Polícias do AP e da Guiana Francesa reforçam fiscalização na fronteira

Artigo 1

 

G1 – Após anos de relacionamento conturbado na fronteira por falta de cooperação operacional, as polícias da Fronteira da França (PAF) e a Civil do Amapá parecem ter virado a página e decidiram retomar operações conjuntas na fronteira entre o Brasil e a Guiana Francesa. O papel dos agentes e delegados amapaenses nas ações rendeu até cartas de elogios de autoridades policiais francesas.

Charles Correa, delegado da Polícia Civil de Oiapoque (Foto: Reprodução/TV Amapá)

Charles Correa, delegado da Polícia Civil de
Oiapoque (Foto: Reprodução/TV Amapá)

O coordenador do Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp) de Oiapoque, delegado Charles Correa, frisou que o fortalecimento das relações operacionais em parceria com a polícia francesa iniciou com diálogos sobre interesses no combate ao tráfico de pessoas, de drogas e garimpos ilegais em ambas as regiões de fronteira. Somente entre janeiro e novembro de 2014 foram realizadas 78 operações administrativo-policiais fluviais ou terrestres.

Oiapoque fica a 590 quilômetros de Macapá e faz divisa com Saint-Georges, na Guiana Francesa. As cidades são usadas como rota na prática de crimes internacionais entre os países.

A cooperação entre as polícias resultou no maior rigor aos chamados “coiotes”, pessoas que atravessam por embarcações imigrantes clandestinos entre os países. Eles deixavam de ser presos por falta de provas da prática de tráfico de pessoas. A Polícia Civil do Amapá, no entanto, começou a enquadrar os pilotos das voadeiras em outros crimes previstos no Código Penal Brasileiro, a exemplo do transporte irregular de carga e falta de carteira náutica.

“Essa carta representa uma gratidão do trabalho realizado na fronteira ao longo dos últimos quatro anos em parceria com os policiais franceses na fiscalização contra a prática de crimes transfronteiriços, principalmente contra os “coiotes” que começaram a ser presos”, comentou o delegado de Oiapoque Charles Correa.

Fronteira do Amapá, em Oiapoque, é usada como rota para Guiana (Foto: Abinoan Santiago/G1)

Fronteira do Amapá, em Oiapoque, é usada como
rota para Guiana (Foto: Abinoan Santiago/G1)

Com uma população estimada em 23 mil habitantes, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a delegacia de Oiapoque apresenta números de cidade de médio porte. De janeiro a novembro de 2014 foram presas 360 pessoas e encaminhadas à Justiça, além de 396 autos de prisão em flagrante e inquéritos policiais concluídos.

Postar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*



Monitoramento CEDAW - Ação Permanente
Endereço: Rua General Andrade Neves, 159, sala 85, 8º andar Centro Histórico, Porto Alegre, RS, CEP: 90010-210